Storytelling #54 - O Mendigo e o Buda

 
Tue, 29 June 2021 | #lições #buda #histórias
"If we don’t change, we don’t grow. If we don’t grow, we aren’t really living."
Anatole France

Todos os dias um mendigo que vivia na rua observava as pessoas a passarem frustradas. Algumas com lágrimas nos olhos e perturbadas com as preocupações da vida. Iam ao encontro de Guatama Buddha. Estranhamente, quando regressavam vinham felizes.

Aquele mendigo não percebia o que acontecia naqueles encontros, para justificar essa transformação nas pessoas que dialogavam com ele. Por isso vivia, dia após dia, intrigado com uma pergunta sem encontrar uma resposta – como é que eles ficavam tão felizes com uma simples conversa?

Incomodado com esta dúvida, um dia o mendigo também decidiu ir conversar com ele e ver o que estava a acontecer. Caminhou ao seu encontro. Finalmente encontrou o local, onde muitas pessoas faziam uma longa fila à qual ele se juntou à espera da sua vez.

Quando chegou à sua frente, disse-lhe:

- “Sabe, sou muito pobre. Eu não tenho nada. Tenho que pedir aos outros para viver a vida. Como posso viver melhor? “

Ao ouvi-lo, o Buda disse:

- “Tu não és pobre. Pensas que és pobre, porque nunca ajudaste ninguém. Não dás nada a ninguém e sentes que não fazes nada pelos outros.”

O mendigo ouviu em silêncio. Refletiu, e ficou confuso com a resposta. Em seguida respondeu quase que indignado:

- “Eu sou um mendigo. Não tenho hipóteses de dar ou ajudar as outras pessoas! É impossível, eu dependo dos outros para viver a minha própria vida.”

O Buda Guatama ficou quieto e em silêncio por um tempo. Passados uns minutos comentou.

- “Vejo que tens uma mão com a qual podes fazer o bem aos outros. Além disso, tens uma boca para dizer coisas boas e encorajar os outros. Não precisas de dar dinheiro, para coisas que só dependem de dinheiro. Podes dar apoio, educação e sabedoria. Além disso tens a saúde, isso é uma riqueza. Não podes ficar retido na ideia de pobreza que invade a tua mente. Deves afastar esse pensamento e servir também os outros.“

Depois de ouvir estas palavras do Buda, o mendigo saiu com um ar satisfeito e com o pensamento naquilo que iria fazer para ajudar, também, os outros.