Storytelling #4

quinta, 27 abril 2017 16:37

Muitas pessoas esperavam que o passado 26 de Março fosse um dia normal. Uma má exibição da seleção inglesa contra a Lituânia seria o desfecho habitual, depois da péssima imagem que ficou do Europeu de 2016.

As emoções contagiam

Muitas pessoas esperavam que o passado 26 de Março fosse um dia normal. Uma exibição sofrida da seleção inglesa contra a Lituânia poderia ser o desfecho, depois da péssima imagem que ficou do Europeu de 2016. Na lista dos jogadores suplentes estava o avançado Jermaine Defoe, após 4 anos fora das convocatórias e em final de carreira.

Quando Defoe surge como titular substituindo Joe Hart, capitão da equipa que cede o seu lugar no alinhamento inicial, todos estranham.

Momentos após a entrada da equipa em campo Defoe aparece a segurar o menino Bradley Bradley de 5 anos que está em fase terminal de um cancro.

Para Southgate, o selecionador inglês, esta era uma atitude natural. Defoe tinha revelado nos últimos 3 meses uma atitude completamente diferente, demonstrando liderança, esforço, dedicação e um nível de empenho bem acima do habitual, transmitindo essa força à equipa. Curiosamente há 3 meses conheceu Bradley numa visita ao hospital. Parece que Defoe, ao invés de se afastar ou ignorar as emoções, foi capaz de as transformar em algo positivo, e encontrar aí a motivação e o caminho que ele, e a sua seleção, tanto precisavam.

Momentos antes de começar o jogo, Bradley abraça Defoe. Mais tarde as bancadas aplaudem quando Defoe marca o golo da vitória. No final foi considerado o homem do jogo. Muitas organizações desprezam aqueles que em final de carreira têm ainda muito para transmitir aos mais jovens, principalmente aqueles que sabem como transformar o lado negativo em positivo, contagiando tudo o que os rodeia.

 

Relacionados

‘Doubt kills more dreams

than failure ever will.’

Suzy Kassem

Storytelling #35

quinta, 27 abril 2017 16:37 |

"Enquanto a carpa é obrigada a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras dos nossos sonhos." - Paulo Coelho

Inicie sessão