Storytelling #36

quinta, 02 janeiro 2020 17:14

"The measure of a man is what he does with power." - Plato

Babilónia e a Torre de Babel

 

A ‘terra entre rios’ (Tigre e Eufrates), a Babilónia, é considerada um dos berços da civilização antiga. Conhecida como a cidade mais importante do Mundo na altura, onde hoje se localiza o Iraque, era a capital de um império que começava na Índia e terminava na Península Ibérica. Um império com um único povo e uma única língua.

A sua fama era tal, que as pessoas da cidade e os seus reis começaram a ter um comportamento muito orgulhoso dos seus feitos. Típico de um povo que dominava sozinho uma aldeia global. Na sequência desta liderança, que só olhava para o seu ‘umbigo’, foi ordenada a construção de uma torre que chegasse ao céu com a intenção de eternizar os nomes dos líderes da Babilónia.

Diz a lenda que esta construção despertou a raiva de Deus. Como castigo, destruiu a torre através de ventos fortes espalhando os homens por toda a terra e recriando diferentes línguas. Isso aumentou a dificuldade de entendimento e relação entre as pessoas. Quem pedia um martelo, o outro entregava-lhe uma pedra. 

Hoje, percebemos que esta história é uma forma que os povos antigos encontraram para explicarem a variedade de povos e idiomas. No entanto, na atualidade foram encontradas ruínas de torres que se assemelham à descrição da torre de Babel descrita no livro da Bíblia.

Seja como for, a lenda lança um alerta para as lideranças centralizadoras e dominadoras, as quais caem facilmente na tentação de não respeitarem ou estimularem a diversidade.

 

 

Inicie sessão