Weekend Tips #029 - Não foi uma falha... foi feedback!

Este e-mail contém elementos que podem não ser visíveis no e-mail. Ver online.

Newsletter 29

for your weekend

Leva demasiado a peito os erros? Reage de forma negativa quando falha?

Separador

A forma como interpretamos o que está a acontecer à nossa volta acaba por influenciar a forma como experimentamos as situações. Se errarmos ou não atingirmos um objetivo, podemos interpretar que falhámos, ou podemos sentir que daquela experiência resultou um feedback útil que nos vai ajudar a melhorar e a mudar no futuro. Qual é a diferença?
A primeira leitura ajuda-o a sentir-se mal com os acontecimentos.
A segunda ajuda-o a perceber que faz parte de um processo de crescimento e que da próxima vez será diferente e melhor.

As perguntas a fazer são: a forma como estou a interpretar esta situação está a ajudar-me? Existe outra forma de olhar para isto? Procure mudar o rótulo que está a colocar nos acontecimentos, seja mais construtivo e positivo. Analise com detalhe, ‘puxe o filme atrás’ e verifique aquilo que correu mal e porque correu mal. Mas não se esqueça, o feedback existe quando a seguir mudamos alguma coisa. Se nada mudar não é feedback! Apenas podemos dizer que recebemos informação.

Eu não falhei. Apenas encontrei 10.000 soluções que não funcionavam.’

Thomas A. Edison, Inventor e Empresário
Separador

Cursos

Leitura

Deseja anular a subscrição da nossa newsletter? Clique aqui.

Inicie sessão