Week Tips #266 - O trabalho remoto é assim tão mau?

 
"O engagement e bem-estar não estão ligados ao local onde a pessoa trabalha."
Jennifer Robin

O trabalho remoto oferece uma experiência de trabalho que muitas pessoas com mais experiência desejam. Falando de liderança, muitos líderes perceberam que podem manter a produtividade nas suas equipas remotas criando processos de comunicação mais frequentes e objetivos, os quais não deixam dúvidas sobre o que é esperado e como é que cada um contribui para isso. Em suma, isso acabou por aumentar, em vários casos, o engagement e o bem-estar dos colaboradores em trabalho remoto, mesmo perante um contexto de pandemia global.

 

O engagement e bem-estar não estão ligados ao local onde a pessoa trabalha, mas à sua experiência de trabalho. No entanto alguns líderes não suportam ter as equipas dispersas e fora do seu ‘olhar’. Nessas circunstâncias, os líderes devem descobrir os benefícios do trabalho remoto e ajudarem a criar uma boa experiência fora do ambiente de escritório. Como? 

 
  • Desenvolvendo competências que os ajudem a atuarem como coaches capazes de construírem relações mais genuínas e próximas.
  • Terem diálogos com abertura que explorem o que justificou um maior envolvimento e bem-estar.
  • Replicar essas experiências, principalmente com as gerações mais jovens que são, por vezes, desligadas e saltitantes, e que precisam de outros argumentos da liderança.
  •  

Para se sustentar estes ganhos de compromisso e bem-estar das pessoas quando se distanciam, é importante criar redes colaborativas entre líderes. Redes que partilhem boas práticas que podem ser facilmente ‘exportadas’ para outra equipa. No final, tudo isto faz mais sentido. Porque quando falamos de diferentes lideranças na mesma organização, todos fazem parte da mesma equipa.