Storytelling #42 - O Mito da Caverna

 
Tue, 26 May 2020 | #platao #liberdade
"Only the paranoid survive."
Andy Grove

Num texto de Platão existe um diálogo entre duas personagens que procuram imaginar a existência de uma caverna onde os prisioneiros viviam desde crianças. Já adultos, mantinham-se de mãos amarradas e virados para uma parede. Desta forma só conseguiam ver sombras. As sombras eram projetadas pela luz de uma fogueira, que estava atrás da parede onde homens se encontravam acorrentados. Algumas pessoas iam passando em frente à fogueira e faziam gestos enquanto carregavam objetos, formando sombras que, de uma forma distorcida, passaram a constituir o mundo destes homens. A parede daquela caverna, aquelas sombras, e os ecos dos sons que as pessoas produziam, eram o mundo que o grupo de prisioneiros conseguia ver e ouvir.

De repente, um dos deles foi libertado.

Andando pela caverna, percebe que existiam pessoas e uma fogueira que projetava as sombras que todos pensavam ser a verdade do mundo deles. Encontrou a saída da caverna, e apanhou um enorme susto ao confrontar-se com o mundo lá fora. A luz do sol ofuscou-lhe a vista. Sentiu-se inseguro, fora da sua zona de conforto e uma pessoa estranha naquele novo contexto.

Aos poucos, acostumou-se à luz do dia e começou a perceber a grandeza de tudo aquilo que existia lá fora. Com isso, percebe que as sombras eram uma pequena parte do mundo, e que as imagens imperfeitas eram uma limitação da realidade. Perante isso, ele tinha duas opções: voltar à caverna e libertar os seus companheiros ou viver livre mas, triste, porque os outros prisioneiros ficavam condenados à ignorância.

Por amor aos companheiros considera a primeira opção, para os libertar. Mas, pensando melhor, receia que a escuridão da caverna o faça ficar cego por momentos. E que os outros o recebam como um louco e incapaz de se adaptar à realidade que eles pensavam ser a única e verdadeira: a realidade das sombras. Pensa que ninguém iria acreditar nas suas ideias e muito provavelmente no final, a sua boa vontade seria premiada pela rejeição do grupo de prisioneiros...