Storytelling #50 - Steve Jobs. Ter Foco.

 
Tue, 23 February 2021 | #steve jobs #experiências #foco
"Focus is saying no."
Steve Jobs

O primeiro mentor de Steve Jobs foi Mike Markkula. Um dia, em 1979, escreveu-lhe uma mensagem que enunciava três princípios. Os dois primeiros foram "empathy" e "focus". O terceiro era uma palavra estranha: “impute”. De alguma forma, uns mais que outros, ajudaram-no a construir uma filosofia de ação muito própria.

Quando Steve Jobs regressou à Apple em 1997, a empresa produzia e comercializava mais de uma dezena de versões diferentes do Macintosh. Depois de algumas semanas de análise do produto, ele disse: "Parem! Isto é de loucos!”

Agarrou num marcador, caminhou descalço até um quadro branco, desenhou uma matriz de dois por dois e voltou-se para a equipa sublinhando - “Só precisamos disto, nada mais”. No topo das duas colunas escreveu - “Consumidor” e “Profissional”. No início das duas linhas colocou "Desktop" e "Portátil". A partir daqui o trabalho das equipas estava definido. Teriam de se concentrar em quatro grandes produtos, um em cada quadrante. Todos os outros produtos deveriam ser esquecidos. Houve um silêncio enorme na sala com alguns elementos em ‘choque’.

Após aquele momento a Apple concentrou-se em fazer só quatro computadores. Com esta ação salvou a empresa. Durante aqueles tempos ele não se cansou de dizer às equipas - “Decidir o que não fazer é tão importante quanto decidir o que fazer. Isso é verdade para as empresas e é verdade para os produtos que elas fabricam e vendem.”

Depois de renovar a Apple, Steve levava todos os anos para um retiro 100 dos elementos mais decisivos da empresa. No último dia, gostava de ficar em frente a um quadro branco para fazer um resumo daquele retiro. Perguntava: "Quais são as 10 coisas que vamos fazer a seguir?" As pessoas normalmente ‘lutavam’ para colocarem as suas sugestões na lista. Steve anotava tudo, e depois riscava o que considerava não ter propósito. No final, depois de muito debate, o grupo de 100 pessoas chegava finalmente a uma lista de 10 ações. Mas, para surpresa de todos, e desespero de alguns, ele cortava os sete últimos e dizia: “Só podemos fazer três”.