Storytelling #46 - Filosofia Ubuntu no mundo da competição

 
Wed, 30 September 2020 | #lições #experiências #competição
"Ego is the ultimate killer on a team."
Patrick Lencioni

Muitas das histórias mais famosas têm um final feliz. Esta história tem um início feliz, ao contrário da forma como terminou. Talvez por isso, a sua mensagem ganhe força. Comecemos pelo seu final...

Doc Rivers, agora treinador da equipa da NBA - LA Clippers, confidenciou numa entrevista em 2018 a sua tristeza por não ter conseguido reconciliar os ex-jogadores – Ray Allen e Rondo.

“Eu tentei ajudar”, disse Rivers. “Os conflitos atuais nasceram de um conjunto de pequenas coisas. São dois jogadores com um espírito competitivo. Ray Allen é quem é, Rondo era quem era, e Kevin ou Paul também. O motivo de termos sido tão bons em 2008 nos Boston, é também o motivo que os leva a não se darem bem em 2018: são muito determinados, muito teimosos, muito duros, muito competitivos e ninguém quer ceder”.

Doc Rivers disse isso com sorriso no final transmitindo orgulho ao falar do campeonato conquistado pela sua equipa dos Boston Celtics em 2008, onde cada um daqueles jogadores teve de sacrificar os seus egos para ganhar um título.

Doc Rivers acredita que o desejo de vencerem juntos transformou os Boston Celtics numa das melhores equipas da história da NBA. “Nessa equipa, em 2008, todos aceitaram os seus papéis. Não era um grupo perfeito. Tivemos muitas discussões e debatemos fortemente as nossas diferenças. Nenhum problema acerca disso. No campo, eu sabia que aquele grupo ia para a guerra todas as noites e ia fazer as coisas certas. Se eu tivesse um jogo para ganhar na minha vida, eu escolheria aquele grupo”.

Esta foi uma equipa que no início da época de 2007/2008 se reforçou com 2 estrelas para atacar o título. Ray Allen e Kevin Garnett, juntaram-se a outra estrela - Paul Pierce. Doc Rivers, treinador da equipa na altura, teria de resolver um problema. Garantir que os 3 jogadores, habituados a liderar e a serem as figuras centrais nas suas ex-equipas, se juntariam para jogar em equipa. Que estavam dispostos a sacrificar os seus objetivos individuais a favor dos objetivos coletivos. Foi aqui que surgiu a filosofia Africana - Ubuntu.

Uma filosofia que fala sobre a preocupação com os outros. Que nos explica que, somos o que somos enquanto pessoa através das outras pessoas. E que uma pessoa não pode ser tudo, sem as pessoas que a rodeiam sejam tudo o que podem ser.

Para implementar esta filosofia na equipa Rivers entendeu que os mensageiros ideais seriam os jogadores recém-chegados. Estes deveriam ser os primeiros a entender a filosofia, e a transmitir para o resto da equipa. E assim foi, no final de um dos primeiros treinos, a equipa juntou-se para dar o grito, quando o Kevin Garnett, um dos capitães de equipa, diz para todos: “Aos 3, gritamos Ubuntu!” Toda a equipa comprou a filosofia Ubuntu a partir desse momento.

Esta filosofia foi levada tão a sério, ao ponto de uma vez no avião, enquanto Doc Rivers estava a comer um hambúrguer que tinha trazido, um dos jogadores, Tony Allen, dizer-lhe: “Treinador. Não estás a ser Ubuntu! E nós?”. Num outro exemplo, o treinador teve de faltar a um jogo porque o seu pai estava muito doente. No intervalo do jogo, Kevin Garnett ligou-lhe e disse: “Quando estás triste, estou triste, estamos tristes”. A equipa acabou por ganhar o jogo e dedicar-lhe a vitória.

No final da época de 2007/2008 os Boston Celtics ganharam o campeonato da NBA!